em Blog





Precisamos refletir sobre a relação com os avós com a chegada do bebê na dinâmica dos cuidados com o recém nascido. Tema de muita relevância nos cuidados com o bebê é a intromissão de pessoas próximas afirmando o que se deve ou não fazer em determinadas situações.

Os avós têm papel importantíssimo nessa teia e também nesse desconforto. Muitas vezes, sentimos que eles poderiam ajudar mais. Outras vezes, temos dificuldade em deixar claro o seu importante papel na vida da nova família que se formou.

Por isso refletimos sobre porque acontece essa relação forte com os avós, observando os benefícios deles em nossa vida sabendo de forma devemos permitir esse envolvimento e de como de colocar.

relacaocomosavoscomachegadadobebe

Mas qual é, então, qual a melhor maneira de cuidar e porque acontece essa relação forte com os avós com a chegada do bebê?

É sempre o que os pais dele podem oferecer, com seus error e acertos. Claramente, estamos trazendo nesse artigo situações referentes à pais e à mães que querem viver com os filhos, que se desafiam nessa escolha, que desejam aprender e estar diariamente com seus bebês.

Tristemente, encontramos inúmeras situações que saem desse caminho, como agressões, violências e abandono.

É extremamente comum que logo após a chegada do bebê que os avós sintam bastante euforia e desejo de ajudar a mãe e o recém nascido. Muitas vezes essa ajuda vem a respeito do que foi vivido lá atrás. Do que os avós acreditam que seja o melhor cuidado para o neto.

Como observar os benefícios dessa relação dos avós com a chegada do bebê?

Devemos olhar para nossos pais e os pais dos parceiros com gratidão. Honrando o que foi vivido com os erros e acertos do passado nos ajudando a sermos quem somos hoje.

É muito importante que coloquemos um limite saudável nessa relação com os avós com a chegada do bebê na qual a ajuda será bem-vinda, mas precisamos deixar espaço para que nossos erros e acertos possam ocorrer.

Para tanto, é necessário que encontremos formas de nos comunicar com os avós na medida que não se sintam deslocados dessa relação, mas que entendam que o jogo da vez é o dessa família que acabou de se formar.

Quem deve permitir essa relação com os avós com a chegada do bebê e de que forma?

É necessário que essa mãe banque suas próprias escolhas e se coloque para quem quer que seja. Se conseguir fazer isso com amorosidade, as respostas são sempre muito positivas. O parceiro, por sua vez pode fazer os cortes e os convites para as entradas quando observar também do que essa mulher necessita.

Para quem os conselhos são benéficos? Com que frequência devemos emiti-los nessa relação? Quando a emocionalidade da mulher é sólida e apoiada em afetos firmes, os conselhos são inofensivos. Mas podem ser muito destrutivos quando se trata de mulheres que se encontram frágeis e que não estão com uma rede de apoio forte. (laura gutman, a maternidade e o encontro com a própria sombra)2012.

Quando este casal consegue encontrar um caminho da comunicação entre essa relação com os avós com a chegada do bebê, a beleza aparece pois esses avós podem exercer o papel que muitas vezes não conseguiram desempenhar com seus próprios filhos por falta de tempo ou imaturidade. Muitas vezes, hoje em dia eles têm mais tempo pra se dedicar aos netos e rever situações do passado que podem ser curadas nessa nova relação.

Podem se reconectar com os erros do passados e com as alegrias dos acertos mas deixando espaço que esses pais possam trilhar o próprio caminho. Isso só será possível se este casal informe e se coloque para os avós.

relacaocomosavoscomachegadadobebe

Quanto nos colocar nessa relação com os avós com a chegada do bebê?

Podemos escolher dois grandes caminhos. O primeiro deles e o mais fácil, de reclamação do que nosso pais e sogro e sogra vêm fazendo com relação ao nosso filho. De desconforto sem diálogos ou cortes importantes não permitindo a relação com os avós com a chegada do bebê.

O outro caminho – que é nossa proposta aqui- é o que envolve mais de nós, pois faz com que busquemos caminhos diferentes dos que somente a reclamação. Faz com que busquemos saídas inteligentes e criativas para situações que nos incomodam. Mostremos nosso limite e façamos os cortes necessários, honrando essa grande teia.

Assista esse vídeo abaixo para saber mais a respeito 🙂

Você gostou desse artigo? Sinalize aqui nos comentários para nós e compartilhe com uma mãe que possa gostar desse conteúdo!

Quer se aprofundar em outros temas sobre maternidade consciente? Confira a série de vídeos sobre a relação com a sogra no pós parto!

Quero ter Acesso aos Vídeos

 

 

 

 

 

Comentários
Postagens Recentes

Deixe um Comentário

0

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar