em Blog





Todos os casais de uma forma ou de outra passam por uma crise conjugal no pós parto! Situações bem comuns com relação a este tema são o estranhamento do seu papel de mulher e da sua vida sexual, pois agora a maior parte da sua energia está direcionada ao bebê recém nascido.

O papel de companheira sexualmente ativa passa por modificações profundas e é extremamente comum causar desconforto no casal na medida que tem dificuldade de realizar práticas que desenvolviam antes de ser pais.

Para entender melhor sobre este tema é importante parar para refletir sobre assuntos de como era a relação antes do pós parto e como vai ficar agora com o bebê. Também qual será a melhor forma de passar por essa crise conjugal e como olhar esse companheiro para ter uma vida realizada entendendo de onde começa essa mudança.

Como era antes do pós parto?

Práticas como diálogos mais prolongados, saídas a noite com os amigos, assistir a
filmes juntos e uma vida sexual mais ativa e mais frequentes são comparadas e causam
estranhamento no parceiro e em você mesma, pois não reconhece mais em si um
grande desejo de fazer o que antes fazia.

crisenoposparto

E como fica agora, com a chegada do bebê?

Isso é normal, faz parte do processo e, se o casal se permitir passar por este momento juntos, irá aprofundar a relação, pois ambos se percebem como pessoas diferentes e se organizam para atender as necessidades do filho aumentando o senso de responsabilidade, autonomia e sentido da vida.

Há um maior aprofundamento das próprias práticas. Há uma maior percepção de contradições entre o que falamos e fazemos. Mais uma uma vez o filho agindo como um grande mestre, remexendo as estruturas
deste casal.

A dificuldade vai aparecer e é necessário estar presente para encontrar novas formas de agir, pois a vida está exigindo mudanças. E se ficarmos presos ao antigo padrão da sexualidade o sofrimento será muito maior entrando em crise conjugal mesmo. É uma fase que a companheira estará disponível ao bebê é importante que fique e que vai passar.

O quê devemos fazer para passar por essa crise conjugal no pós parto?

É necessário que você permita a entrada do seu companheiro no processo para que ele participe, entenda e compartilhe esse momento para que também possa ser compreendido por você quando ele errar. Afinal de contas, o que é certo para você pode não ser o certo para ele. Esse entendimento é vai evitar entrar numa crise conjugal no pós parto sem necessidade.

Além disso, exponha e converse com ele o que você está sentindo. Isso vai facilitar a compreensão dele no que você estiver passando e o auxílio da melhor maneira possível.

Outro ponto importante é não se vitimizar. Seja auto responsável. Aceite porque nesse momento a responsabilidade é sua, você é a mãe e é seu papel atender as necessidades de seu filho então é comum que esteja cansada.

Com que frequência devo me organizar para olhar para meu companheiro dessa forma?

Claramente que esse olhar é difícil e exigente. O mais fácil é, na maioria das vezes, olharmos para o outro e já direcionarmos nossa insatisfação para quem estiver mais próximo de nós, no caso, o parceiro ocasionando uma intensa crise conjugal no pós parto.

Afinal, quem é o responsável por uma vida realizada?

É necessário que nos esforcemos para redirecionar nossas percepções para nós mesmas. E à medida que fazemos isso, mais fácil fica. Pois, conseguimos com mais tranquilidade reconhecer o que é nosso papel e como atuar. E também reconhecer o que é do outro e pedir ou convidar para que olhe e atue.

Assim, para evitar uma possível crise conjugal no pós parto entendemos que a responsabilidade recai sobre nós mesmas e pode ser compartilhada com o parceiro, pois ambos estarão olhando na mesma direção: da escolha que fizeram de serem pais desse recém nascido e das mudanças que inevitavelmente recairão sobre suas vidas e escolhas a partir dela.

Onde, enfim, é a mudança?

É de dentro para fora. Primeiro, olhando para nós, para nossas mudanças corporais e hormonais, nossos desejos, nossas dificuldades. Depois, olhando para o outro e para suas falhas.

Fica mais verdadeiro, fica mais justo com quem está próximo de nós. Passamos a reconhecer o que é nosso e depois facilmente mostrar para o outro o que é dele. Convidando-o a revisitar situações desconfortáveis, dores mais profundas e tendo a oportunidade de, juntos, explorar esse novo mundo!

Este artigo fez sentido para você? Conhece alguma mãe que pode se beneficiar deste conteúdo de crise conjugal no pós parto? Compartilhe para chegar a quem precisa. Se você tiver mais alguma dúvida, escreva aqui nos comentários abaixo…

Mariana Carvalho Pereira

Quer se aprofundar em outros temas sobre maternidade consciente? Confira a série de vídeos sobre a relação com a sogra no pós parto!

Quero ter Acesso aos Vídeos

 

 

 

 

 

Comentários
Postagens Recentes

Deixe um Comentário

0

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar